Imprimir

Colisões em postes: uma das principais causas de falta de energia RGE e RGE Sul registram 4,5 mil casos em 2017

São Leopoldo, 23 de maio de 2018 - O sistema elétrico brasileiro é uma indústria a céu aberto, ou seja, os postes e fios estão sempre expostos às mudanças climáticas como chuvas, raios e também à influência da atividade humana. Neste último item destacam-se as colisões de veículos contra postes, geralmente com danos consideráveis na rede elétrica. Quando um veículo colide em um poste, mesmo que não quebre a estrutura, um bairro ou até uma cidade inteira pode ficar sem energia elétrica. 

Dados levantados pela RGE e RGE Sul, distribuidoras do Grupo CPFL Energia, que atendem 2,7 milhões de clientes, em 373 municípios do Rio Grande do Sul, apontam que, somente em 2017, foram registrados 4,59 mil colisões de veículos que causaram interrupções no fornecimento de energia das duas distribuidoras. Na área de concessão da RGE, região Norte-nordeste do Estado, foram 2.636colisões. Um montante 34,4% superior ao total de casos ocorridos na área de atendimento da RGE Sul, que abrange as regiões Metropolitana, Vales, Central e Fronteira Oeste. Neste ano, até abril, já foram 895 ocorrências na RGE e 658 na RGE Sul. 

Caso o acidente seja em um poste de um circuito de média tensão, por exemplo, há milhares de clientes conectados nessa rede. Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas de interrupção no fornecimento de energia elétrica. Quando se trata de colisão, a média é de três postes substituídos por dia, o que, além dos transtornos pela falta de luz, provoca gastos de aproximadamente R$ 12 mil diários, totalizando mais de R$ 4 milhões ao ano para cada uma das distribuidoras do Grupo CPFL. 

Entre as cidades que mais contabilizam este tipo de ocorrência e que são atendidas pelas Companhias estão: Caxias do Sul, Passo Fundo, Gravataí, Bento Gonçalves; além de Canoas, Novo Hamburgo, Santa Maria, Santa Cruz do Sul e São Leopoldo.  

“A quantidade de ocorrências de colisão com postes é um reflexo da alta imprudência nas vias. A intenção do Grupo CPFL é alertar a população, não somente para danos à rede elétrica, mas tambémà segurança da própria vida e a de terceiros”, ressalta o gerente de Saúde e Segurança da CPFL Energia, Marcos Victor Lopes. A RGE e a RGE Sul são empresas que apoiam o Maio Amarelo, em defesa de um trânsito mais seguro.

 

Campanha visa promover trânsito mais seguro

 

O Movimento Maio Amarelo tem por objetivo chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Criado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, a intenção é colocar em pauta a segurança viária e mobilizar toda a sociedade para discutir o tema, estimulando o cidadão a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada um, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito. 

 

Segundo o Movimento, 90% dos acidentes tem como motivação falhas humanas como imprudência, imperícia e desatenção. Ações do Maio Amarelo são desenvolvidas em todos os estados brasileiros e em outros 26 países nos cinco continentes.

 

CPFL Energia apresenta dez dicas que ajudam a tornar o trânsito mais seguro:

 

  1. Mantenha o veículo com a manutenção em boas condições, verificando o estado dos pneus, dos freios, dos faróis e dos retrovisores;

 

  1. Não dirija sob o efeito do álcool, remédios ou qualquer outra substância tóxica;

 

  1. Quando estiver dirigindo, cuidado com o farol alto. Você pode ofuscar a visão do motorista na via de sentido oposto;

 

  1. Respeite sempre a sinalização de trânsito e os limites de velocidade das vias, em qualquer dia, local e horário;

 

  1. Respeite os pedestres e sempre use cinto de segurança e capacete, para motociclistas;

 

  1. Não use celular quando estiver dirigindo. Além de colocar em risco a vida dos pedestres e outros motoristas, a infração para quem é pego usando o celular na direção é considerada gravíssima;

 

  1. Em caso de manobras, sinalize para os pedestres e os demais motoristas; 

 

  1. Sempre mantenha distância segura do veículo à frente;

 

  1. Fique atento às condições da pista e do clima. Em caso de pista molhada ou de neblina, dirija com cuidado. Diminua a velocidade e mantenha a distância dos demais veículos;

 

  1. Em caso de acidente com poste, se houver queda de cabos, procure ficar no interior do veículo, sem tocar nas partes metálicas, até o atendimento por parte das equipes da empresa.

 

 

Sobre a RGE

 

A Rio Grande Energia (RGE) é a distribuidora de energia elétrica da região norte-nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. Originada do modelo de concessão pública para distribuição de energia elétrica em 21 de outubro de 1997, a empresa atende 255 municípios gaúchos, o que representa 54% do total de municípios do Estado. 

 

A área de cobertura da RGE divide-se em duas grandes regionais: a Centro, com sede em Passo Fundo, e a Leste, com sede em Caxias do Sul. São 90.718 km² - 34% do território do Estado. Agrupadas, essas regiões apresentam um dos melhores índices sociais e econômicos do Brasil e também são as responsáveis pelo maior polo agrícola, pecuário, industrial e turístico do estado.

 

A RGE se orienta pela Gestão de Qualidade para atingir, cada vez mais, altos níveis de eficiência para seus consumidores sendo parceira dos municípios gaúchos no desenvolvimento econômico do RS dentro de sua área de concessão. Desde 2006 a RGE passou a fazer parte integralmente do grupo CPFL Energia, o maior grupo privado do setor elétrico brasileiro.

 

Sobre a RGE Sul

 

A RGE Sul Distribuidora de Energia S/A é uma das distribuidoras de energia elétrica do Grupo CPFL Energia no Rio Grande do Sul e tem atuação nas Regiões Metropolitana, Vales, Central e Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. A concessionária atende a 1,3 milhão de clientes em 118 municípios gaúchos, tem 100 mil Km² de área de abrangência e 65 mil Km de rede de distribuição. A base de suas operações fica em São Leopoldo.

 

 Sobre a CPFL Energia


A CPFL Energia, há 105 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior companhia de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

 

Com 14,3% de participação, a CPFL Energia é líder no mercado de distribuição, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

 

Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Considerando a participação acionária na CPFL Renováveis, maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas de energia, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 3.283 MW, no final do terceiro trimestre de 2017.

 

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE. Pelo 13°. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.