Imprimir

EDP é pioneira na aplicação de inteligência artificial no setor elétrico

EDP é pioneira na aplicação de inteligência artificial no setor elétrico

 Iniciativa é desenvolvida com EY e USP

 Fonte: Grupo EDP Energias do Brasil - 09/11/2017

São Paulo, 09 de novembro de 2017 – A EDP Brasil deu início, esta semana, a um projeto pioneiro de Pesquisa & Desenvolvimento para sistemas de inteligência artificial aplicados à área de distribuição de energia. Com investimento de R$ 8,3 milhões ao longo de 18 meses, o projeto irá estudar os impactos da automação de processos com robôs de última geração. 

Com o apoio da EY e de Doutores da Universidade de São Paulo (USP), a iniciativa visa a estruturação de um observatório de tecnologias disruptivas que analisará, entre outros temas relevantes, os impactos na formação e gestão da força de trabalho. A partir desse estudo, será possível identificar, medir e mitigar os aspectos socioeconômicos e culturais, ajudando a definir um novo perfil para os colaboradores e corpos diretivos das empresas diante das mudanças trazidas pela aplicação de novas tecnologias avançadas.

O estudo inédito no setor de energia permitirá o uso de robôs de primeira geração, que são capazes de automatizar processos manuais e repetitivos, liberando as pessoas para atividades mais analíticas e criativas. Na sequência, será realizado o mesmo estudo usando robôs de terceira geração e superior, com o uso de inteligência artificial, capazes de aprender a identificar “padrões” e tomar decisões.

A EDP tornou-se este ano a primeira empresa do setor elétrico a criar um Centro de Excelência em Robotização, com uma equipe certificada e dedicada a automatizar e gerenciar a força de trabalho digital. A Companhia já disponibilizou 15 robôs que entraram em operação ao longo do ano, sendo o primeiro em janeiro, e está atualmente trabalhando na implementação de mais 23 robôs, o equivalente a 36 mil horas robotizadas por ano. A meta é atingir mais de 100 robôs até ao final de 2018. “Destacamos-nos pela nossa liderança na agenda de transformação digital e somos a primeira empresa do setor elétrico a avançar com robotização de processos. Agora também queremos ser líderes na aplicação da inteligência artificial no setor”, reforça Miguel Setas, presidente da EDP Brasil.

Para EY é muito importante fazer parte dessa iniciativa. "O trabalho não se concentra apenas na implementação dos robôs, estamos atentos na capacitação do profissional que vai acompanhar todo esse momento, para que possa seguir com excelência na sua função, afirma Luiz Sérgio, CEO Brasil da EY. Dentre os possíveis processos robotizáveis inclusos no projeto de P&D, estão:

o   Saneamento de inconsistências nos cadastros técnicos e comerciais das distribuidoras;

o   Apoio no processo de operação das redes de distribuição;

o   Direcionamento e refinamento de ações de recuperação de receitas nas distribuidoras;

o   Gestão de ativos, incluindo atividades de O&M;

o   Atendimento a consumidores e aspectos regulatórios.

Com o projeto, a EDP terá a oportunidade de otimizar (robotizar) diversas atividades a fim de garantir eficiência, produtividade e qualidade na execução, sempre pensando nos benefícios que serão gerados aos seus colaboradores, sociedade e partes interessadas, por meio da excelência no atendimento e foco no cliente. A iniciativa foi inserida em outubro de 2017 no âmbito dos programas de P&D da EDP, com a garantia da originalidade e pioneirismo.

 

Sobre a EDP Brasil

A EDP Brasil tem mais de 20 anos de atuação no País e mais de dez anos de abertura de capital na BM&FBovespa. É uma empresa com atuação integrada nas áreas de geração, transmissão, distribuição, comercialização e soluções em energia elétrica, com presença em doze estados: São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Ceará, Pará, Amapá, Maranhão, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Nos negócios de Comercialização e Soluções, atua em todo o território nacional. A EDP tem mais de 3 milhões de clientes e conta com 3 mil colaboradores próprios, 248 colaboradores das joint ventures, 210 estagiários e aprendizes e 12.783 colaboradores terceirizados.

A Empresa é controlada pelo grupo EDP Energias de Portugal, maior grupo industrial português e uma das maiores operadoras europeias do setor elétrico, com atuação em 14 países.